Músico, jornalista, documentarista e fotógrafo. Como músico é autor da “Sinfonia Rio-pretense número 1”, de 2002, peça orquestral em quatro movimentos, composta para as comemorações do sesquicentenário de São José do Rio Preto, e da suíte orquestral “A Lenda do Pássaro Azul”, de 2004, para piano e orquestra. Gravou os Lps “Improviso”, em 1997, “O Tom do Brasil”, 1991 e “Fernando Marques e Sandra Brito” em 1992; os Cds “Brasilian Bossa”, 1994, também lançado no Japão, “Fernando Marques”, 1996, “Espera”, 1998, “Samba Ano 2000”, em 2000, “Dia de Feira”, 2012, “Sampa Instrumental, em 2013 e o último "Rios do Brasil", de 2016. Fundador do selo musical Tempo Livre, com produção de vários discos de compositores independentes do interior de São Paulo, desde 1991. Criador e curador do Festival de Música Rio-pretense Vinicius Nucci Cucolicchio desde 2002. Como documentarista é fundador, em 2002, da produtora de documentários Rio Preto em Foco Filmes, que fez entre outros os seguintes lançamentos: “ A Lenda do Pássaro Azul”, de 2003, “Canções de Uma Cidade”, de 2004, “As Cores de Uma Cidade”, de 2005, “J.C.Serroni – O Arquiteto do Faz-de-conta”, de 2006, “Rio Preto no Automóvel Clube”, de 2006, e “Teixeira Mendes – Arte e Histórias”, de 2007, "O Terço Cantado na Boiadeira", de 2007, " Um Dia com o Diamante Negro", de 2008, "As Dores de Uma Cidade, de 2008, "Acalanto", de 2008, "Atrás dos Muros do Profeta", de 2009, e "Fio de Bigode", de 2009, “Uma Estrela no Sertão” e “Zé do Pito”, ambos de 2010, “Dinorath, uma mulher à frente de seus tempo”, de 2011, “Velhas Estradas, eternas Lembranças” e “Um dia com o Silva”, 2012 e "Samba da Minha Terra", de 2016. Apresentou de 2001 até 2014, o programa Rio Preto em Foco, no Canal 16/ TV da Cidade, sobre a história da cidade e de toda a região. Apresenta atualmente o programa Documento Rio Preto na TV Câmara São José do Rio Preto. Como jornalista, atuou no Jornal Bom Dia, com as colunas “Quem Foi” e “De Sola”. De 2011 e 2012, foi titular da coluna “Memória Fotográfica”, do Diário da Região. Hoje, no mesmo jornal tem a página semanal "Rio Preto em Foco". Como fotógrafo, produziu as exposições “Heróis do Esporte Rio-pretense”, no Sesc, em 02/2012, “Expressões”,em, 04/2012 e “Quase Anônimos”, em 09/2012, ambas no Mercado Municipal de Rio Preto. Fundou em 2012 o primeiro Museu da Imagem e do Som de São José do Rio Preto, com a sala de projeções Sylvio Calabrezzi, um cinema de bolso, com projeções em Super 8, 16 e 35mm.

A partir de 2017, resgatou todos seus filmes produzidos em película Super-8 e 16, produzidos ainda nas décadas de 1970 e 80 São Eles: "1969" - "Uma Câmera, uma História - Aconteceu em 1977" e "Breu" (Super 8) - "Resgate de Animais em Água Vermelha" (16mm).

ÍCONE - SETA CONTINUAÇÃO - 3.png